A Secretaria do Patrimônio Federal (SPU) vai desenvolver um plano inédito para a Baixada Santista, que será apresentado em abril, que leva em conta as destinações da área na área para atender aos históricos de habitação, portos e informalidade. O problema da ocupação. O coronel Mauro Filho, secretário estadual de Coordenação e Governança da SPU, assinou termo de compromisso nesse sentido nesta terça-feira (16) em videoconferência.

O chamado “Plano de Negócios da Baixada Santista” tratará de questões levantadas pela deputada Rosana Valle no encontro, como a destinação de áreas de projetos habitacionais para ajudar a reduzir o déficit de 100 mil moradias e a falta de vagas de estacionamento. Existem 3.000 camiões nas margens esquerda e direita do Porto.

“São problemas cujas soluções interferem e conflitam entre o setor portuário, de moradia e até de clubes esportivos e projetos educacionais, como o da Unifesp, uma vez que todos dependem da regularização e destinação de áreas da União muito disputadas”, afirmou a deputada, que fez o convite e o coronel Mauro Filho aceitou vir à região para lançar o Plano.

“A Baixada Santista é nossa prioridade e vamos tratar de todos os aspectos da região que têm a ver com áreas da União. Agradeço a deputada por fazer estes assuntos brotarem todos de uma vez, o que nos permite dar um direcionamento inédito nesse sentido”, disse o secretário Nacional de Governança do Patrimônio da União, que integra o Ministério da Economia.

A equipe técnica da SPU relatou que pelo menos 15 áreas principais foram identificadas para resolver muitos problemas urgentes. Eles informaram também que a SPU destinou o equivalente a 5 bilhões de reais para a área com base no valor do IPTU para atender projetos na entrada de Santos, Nova Punta Grande Praia e outras localidades.

Explosão

Um dos problemas mais graves é a falta de lugares de estacionamento de camiões no Porto. O presidente da Autoridade Portuária de Santos (SPA), Fernando Biral, definiu a situação como um incidente explosivo que tem de ser resolvido com urgência, podendo levar ao encerramento do Porto. Fernando Biral e sua equipe retiraram o decreto do Ministério da Infraestrutura no dia 11 deste mês, que estabelecia a necessidade de criação das chamadas vagas de estacionamento (PPD) para caminhoneiros. A redução de vagas de estacionamento na Eco-cidade cubana e a falta de vagas em ambos os lados do banco agravaram a situação.

A SPU foi informada que o plano de negócios contemplará essa solução emergencial e, quando o prefeito Coronel Mauro Filho propor o plano, todos os participantes relevantes, como Prefeitura, Porto, Unifesp, clubes, etc., poderão propor o Suggest. Enfatiza a necessidade de convocar as partes relevantes para “ter vários pontos de vista” para lidar com este desafio. França (PSB), o deputado estadual que participou da reunião, disse: “Se o governo federal resolver com sucesso o problema de usar Baisada para usar a área da UIT por décadas, vai atingir um objetivo”. Também foi discutida a questão dos clubes portuários Portuguesa Santista e Santos FC que ocupam a área do campeonato.

O professor Pedro Arantes, diretor da Odair Aguiar, diretor da Odair Aguiar, representando a titular Resolveu o problema de ampliação da área de aliança. Tem também o professor Gustavo Camargo. Para a Prefeitura de Guarujá, técnicos da carteira de fomento portuário participaram do encontro.

Campartilhe.

Sobre o Autor

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?