São Vicente está com 100% dos leitos covid de enfermaria e de Unidades de Terapia Intensiva (UTI) ocupados desde domingo (6). A secretária de Saúde, Michelle Santos afirmou, em entrevista para o Santaportal, que para evitar um colapso, o município atua na contratação de mais leitos e mais equipes para operá-los.

Para evitar um cenário ainda pior, Michelle diz que a cidade segue realizando fiscalização para evitar aglomerações, “A Cidade continua com fiscalizações intensas, para evitar aglomerações, segue realizando campanhas de conscientização e está se preparando para a contratação de mais profissionais que irão atuar nos novos leitos que serão abertos para atender a demanda. Ninguém está deixando de ser atendido. Todos que chegam à triagem do Hospital Municipal recebem atendimento adequado”, disse.

Apesar da cidade estar atendendo todos os pacientes que dão entrada no hospital com sintomas de covid-19, caso não haja vaga para internação, este paciente é inserido no sistema da Central de Regulação de Ofertas e Serviços de Saúde (Cross) e fica aguardando uma vaga, seja para Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou Enfermaria no Hospital de referência para o atendimento da região, segundo a secretária.

PS da Linha Vermelha

A prefeitura anunciou neste ano um projeto para que o Pronto Socorro (PS) da Linha Vermelha funcionasse como um hospital de campanha para atender pacientes com covid-19. O projeto, no entanto, ainda não saiu do papel.

A secretária explica que a unidade de saúde foi construída sem planejamento e previsão orçamentária para custeio. “Atualmente, o Município se encontra em grave situação financeira e sanitária, o que motivou a criação de um Comitê de Crise, que vem analisando criteriosamente todos os contratos da Administração Municipal”.

Michelle também esclareceu que o prédio da Vila São Jorge refere-se ao Anexo I, do Hospital Municipal de São Vicente. “Atualmente, tem sido feito um estudo de toda a rede de saúde da Cidade, dimensionando recursos humanos e equipamentos, para que a unidade possa ser aberta à população, com seriedade e planejamento. A secretaria também analisa a região, pois o local registra alagamentos frequentes em dias de chuvas”.

A responsável pela pasta diz que o prefeito Kayo Amado (Pode) busca transformar o PS em uma referência para o atendimento de Covid-19. “Ele já solicitou que o Estado custeie a unidade e aguarda um posicionamento. O local permitiria a abertura de 20 leitos de UTI, 36 de enfermaria e 4 de emergência”.

Independentemente da abertura do PS da Linha Vermelha, a prefeitura já iniciou as contratações de novos leitos para a cidade, a fim de combater a lotação, e também terá mais equipes para compor o quadro de profissionais da saúde.

Vacinação

Sobre o andamento da imunização contra a covid-19 em São Vicente, Michelle Santos informou que a vacinação segue normalmente. “Estamos imunizando pessoas acima de 18 anos, com comorbidades ou deficiência permanente e idosos acima de 60 anos. Atualmente, segundo dados atualizados do dia 2 de junho, 114.908 doses foram aplicadas nos públicos-alvo da campanha”.

Ela completa dizendo que em nenhum momento o município sofreu com falta de doses. “A logística foi muito bem pensada na Cidade, com critério e rigor. Estamos a todo momento ressaltando em campanhas a importância da vacinação, chamando também as pessoas que ainda não tomaram a segunda dose”.

Estado

A região da Baixada Santista registrou nesta segunda-feira (7) ocupação de 70,5% dos leitos de UTI e 64,6% de enfermaria, com condições de atender os pacientes, segundo o portal Seade.

Em nota, o Governo do estado de São Paulo diz que segue dedicado a salvar vidas e todas as ações de enfrentamento da covid-19 tem sido norteadas por meio do monitoramento da pandemia, que é contínuo e diário e embasa o Plano São Paulo. O Governo do Estado também diz que mantém o diálogo com gestores regionais e municipais. Todas as solicitações são analisadas, sendo a liberação condicionada à viabilidade técnica e financeira.

Reforço da rede regional

Ainda em nota, a Secretaria de Estado da Saúde afirma que vem trabalhando junto aos municípios para garantir a assistência na rede pública. Com os esforços empregados, o número de UTIs no SUS de SP praticamente triplicou neste período, saltando de 3,5 mil para mais de 10 mil. Só na região da Baixada Santista, o salto foi de 41 para 329 leitos de UTI, e de 72 para 443 leitos clínicos exclusivos para COVID-19. Apenas em São Vicente, os números passaram de 12 para 22 leitos de UTI e de 72 para 105 leitos de enfermaria dedicados à doença.

Além disso, a secretaria já repassou aproximadamente R$ 1,5 bilhão desde o ano passado à região para combate à pandemia, sendo que R$ 3,8 milhões foram especificamente para o município de São Vicente.

O estado também reforça que segue sendo fundamental que a população respeite as medidas de distanciamento social, uso de máscaras, higiene das mãos e siga as recomendações do Centro de Contingência e Plano São Paulo. Isso contribui para evitar a transmissão do novo coronavírus e, consequentemente, que mais pessoas adoeçam e necessitem de atendimento hospitalar.

Campartilhe.

Sobre o Autor

Embora ninguém possa voltar atrás e fazer um novo começo, qualquer um pode começar agora e fazer um novo fim.

Deixe Um Comentário


Banner publicidade 728 x 90 RODAPÉ
AGORA É HORA DE SER VOCE?